quarta-feira, 27 de julho de 2011

Geração de Renda: Governo lança Programa de Piscicultura e Aquicultura e instala Conselho Estadual


O Governo do Estado projeta ampliar, em 2012, de cinco para dez milhões a oferta de alevinos na Paraíba, o que vai aumentar a produção estadual de peixe. Essa é a meta principal do Programa Estadual de Desenvolvimento da Piscicultura e Aquicultura, lançado na manhã desta quarta-feira (27) pela Secretaria do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca (Sedap). Na mesma ocasião, foi instalado o Conselho Estadual de Piscicultura (Conespa).

O secretário da Sedap, Marenilson Batista, ressaltou que, no momento, o importante é estruturar a cadeia produtiva de piscicultura e aquicultura, uma ação que vai garantir que a Paraíba expresse todo o seu potencial. Segundo ele, o governo está organizando o setor com assistência técnica e novas tecnologias para garantir o aumento da produção e da produtividade. O secretário explicou que a duplicação da produção de alevinos também precisa estar em sintonia com o mercado, para que os pescadores obtenham lucro com a atividade.

O lançamento do programa e a instalação do conselho ocorreram no auditório da Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa), em João Pessoa, dentro da programação da Semana Estadual da Agricultura, cuja programação vai até o domingo (31).

Conselho – O Conselho Estadual de Piscicultura foi criado em 2007 e instalado em 2008, mas não chegou a funcionar. A partir de agora, no entanto, o governo vai colocá-lo em prática. Os 19 membros do Conespa representam a Sedap, a Secretaria do Turismo e Desenvolvimento Econômico, a Federação dos Pescadores do Estado da Paraíba, o Banco do Brasil, o Banco do Nordeste, a Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca, a Conab, a UFPB, a UFCG, a UEPB, o Ibama e outros organismos.

Segundo o secretário Marenilson Batista, o objetivo do programa é desenvolver a piscicultura extensiva em reservatórios públicos, comunitários e de áreas de assentamento, aumentando a oferta de alimentos com proteína de origem animal. “Isso vai contribuir para a melhoria do padrão nutricional do homem do campo, como também para minimizar o efeito das irregularidades invernosas nos estoques pesqueiros”, destacou.

Nenhum comentário: